terça-feira, 6 de junho de 2017

LISA: UMA GORDINHA MUITO ESPECIAL

Aqui em casa, tratamos todos de modo igual, para não haver ciúme. Então, como ontem falei do Fumaça, hoje quero falar da Lisa, nossa gatinha intelectual. Se fosse gente, estaria lendo Proust aos 15 anos. Depois, semana que vem, abordo a Nicole - fui informado de que é assim que se escreve - e a Wendy.
                Peguei a Lisa depois que outra gata linda que tínhamos, a Clarice, desapareceu. Meu filho João, 10, e eu rodamos o bairro inteiro, procurando, perguntando, colando cartazes e... Nada. O João ficou triste - é um funkeiro muito sensível. Nessa época, já tínhamos a Nicole. Então, numa noite, antes do trabalho, passei no pet shop pra comprar ração e areia. Numa gaiola, do lado de fora, havia três gatinhos. Um frio danado. Garoando. Olhei, dois dos bichos brincavam, a terceira estava quieta, no canto, magérrima. Pensei: “é ela.”
                - Escuta aí, meu irmão, esses gatos são pra doação?
                - São.
                - Queria aquela magrelinha ali.
              - Putz, cara, ainda bem que você escolheu ela, estava com medo que morresse de fome, as outras gatas, são todas fêmeas, tomam a comida dela, não deixam ela comer nunca. Se continuasse aqui ia morrer logo, logo.
            Levei Lisa. A Nicole sempre foi conversadeira, não tanto quanto o Fumaça, mas miava bastante. Já a Lisa, não mia quase nunca. Quando chega alguém, ela se esconde atrás do sofá, ou do armário. Só sai quando a visita vai embora. E, se antes não conseguia comer, agora está obesa. Gosta de Pachelbel. É só colocar Canon in D, que ela vem, silenciosa, e olha a gente nos olhos. Tipo assim: “Te amo, mas será que posso confiar mesmo?” Se está deitada perto da gente e outro bicho chega, ela sai e se esconde; mas, quando a gente acaricia a cabeça dela, ela vira e tenta lamber a mão, para retribuir o carinho. Deve ter sido abandonada muito cedo, porque até hoje, quando deita perto da gente, repete os movimentos como se estivesse mamando. Como lê muito, acho que, em breve, precisaremos fazer uns óculos pra ela, pelo menos pra descanso. Vai ficar charmosa. Uma gatinha rajada, bem gordinha, usando óculos pretos de aro redondo.


Nenhum comentário: