quarta-feira, 11 de novembro de 2009

AS MANGAS AINDA ESTÃO DE VEZ

JÁ NÃO PENSO TANTO NELA.
GRAÇAS A DEUS!
JÁ NÃO ME LEMBRO BEM DO SOM DO SEU SORRISO,
NEM DA COR DA SUA VOZ.
GRAÇAS A DEUS!
ONTEM FUI À FEIRA,
COMO JUNTOS COSTUMÁVAMOS FAZER.
ACARICIEI OS OLHOS COM TANTAS CORES,
O OLFATO COM TANTOS ODORES,
E OS BOLSOS, POIS NADA COMPREI.
PENSEI EM LEVAR MANGAS,
PORQUE ACREDITO QUE É TEMPO DE MANGA DE NOVO,
MAS AS MANGAS,
MISTERIOSAMENTE,
AINDA ESTÃO DE VEZ.

4 comentários:

Adriana Godoy disse...

Pois é, e como as mangas as relações, ora maduras demais, ora de vez. Bela metáfora, Daniel. Sempre é tempo de mangas. Beijo.

Luciano Fraga disse...

Caro amigo Daniel, talvez ainda seja preciso amadurecer a cura,ir a feira é muito especial,adoro.Abraço.

Braga e Poesia disse...

as mangas devez se come com sal

Cristina disse...

Adoro mangas de vez, temperadas como salada. E amei seu poema, é inspirador!