segunda-feira, 29 de junho de 2009

MEU MARFIM QUE SANGRA - 1

NOTA DO EDITOR.

O presente relato nos caiu em mãos em meados do ano de 2003. Logo que o encontramos, encaminhamos cópia à polícia civil do Estado de São Paulo que tratava do caso naquele momento. Hoje, muito tempo após o crime, e até porque o mesmo continua sem solução, resolvemos publicar este obscuro texto, que acreditamos valer não só pela contundência de seu conteúdo, como também por sua farta riqueza simbólica e por lançar, quem sabe, luz sobre aspectos psicológicos desta estranha família brasileira. O texto que se segue é publicado na integra, do mesmo modo como nos chegou em mãos, não há nele qualquer corte ou acréscimo, exceto os nomes que foram omitidos ou modificados para preservar a identidade dos envolvidos. A separação em capítulos corresponde a um esquema de separação que havia no próprio manuscrito, alguns trechos estavam digitados em folhas à parte, mas dobrados e colocados em diversas partes do diário, procuramos inseri-los no corpo do texto da melhor maneira possível.

3 comentários:

Adriana Godoy disse...

Daniel, bom retorno. Mas o texto a que se refere ainda vai ser postado?? Não entendi bem. Beijo.

pianistaboxeador21 disse...

Adriana,
Na verdade, trata-se de uma novela que vai ser colocada em capítulos.
Estes foram os dois primeiros.

Beijos

Luciano Fraga disse...

Daniel, também fiquei procurando, como explicou logo acima, fico na espera, abraço.