segunda-feira, 6 de abril de 2009

DA ETERNA ADOLESCÊNCIA

Quem dentre todos os outros entenderá teu silêncio?
Quem dentre todos os outros vai perceber a cor quente do teu riso?
À meia-noite mil vultos teus me perseguem
Com os teus crucifixos de ouro
Com o teu olhar profundo
Com a tua energia louca
Nós fomos vassalo e susserana
Nós fomos servo e duquesa
Nós fomos escravos de tantos amores impossíveis
Tua mão em mim me faz flor de mal me quer
Criança magra dando show de calundu
Trovador elétrico uivando na varanda tua
Eu te faço mal
Eu confundo teu peito
Eu machuco teu braço
Mas não saio ileso
Trovador elétrico uivando na varanda tua
Eu descanso meu desespero no teu colo fecundo
E os teus olhos tão tristes?

Quem?
Quem dentre eles saberá dos teus sonhos?
Quem?

Fazê-la sorrir vale uma existência.
Saiba só que não estás sozinha
Fortaleza da minha agonia
Eu também descasco mistérios
E sonho com fantasmas árabes e adagas que mutilam.

9 comentários:

Adriana Godoy disse...

Daniel, um poema como esse que desconcerta e faz chorar. A espera valeu e vc pôde tirar essas imagens e sentimentos tão densos e jogar na cara ou dar uma direita no peito. Esses versos finais:
"Eu também descasco mistérios
E sonho com fantasmas árabes e adagas que mutilam." Que beleza!! De novo, bom retorno e que seu pc não estrague mais. Beijo.

Luciano Fraga disse...

Este final é maravilhoso,"descasco mistérios, sonho com fantasmas árabes..." Denso e sensível,dores divididas.Todos os dias passo aqui, enfim o bom retorno, abraço.

Luciano Fraga disse...

Este final é maravilhoso,"descasco mistérios, sonho com fantasmas árabes..." Denso e sensível,dores divididas.Todos os dias passo aqui, enfim o bom retorno, abraço.

Luis Carlos disse...

Poema maravilhoso. Metáforas arrebatadoras. Sempre estou aqui. Aqui me encontro e me perco novamente.

Lord of Erewhon disse...

Que belo poema; um conluio de atmosferas épicas.

Abraço.

Braga e Poesia disse...

sonhar com arabes e adagas que mutilam é sonha não o sonho impossivel mas anters sonha o sonho impossivel das possibiliddades.
não mais o seu amor é mas adagas.
um trauma de amor cortantes e mutgilantes.
amor possivel de uma impossibiliddade medida e perigosa.
daniel texto denso e bonito

JC disse...

Sempre nos presenteias com belos poemas. Poemas que nos marcam, que nos fazem reflectir. Poemas com frases e palavras escolhidas de uma forma criterosa e que nos transportam para o real.
Sempre vale a pena esperar mais um pouco por cada texto ou poema teu, pois os teus escritos fazem com que nós cada vez vamos aprendendo mais. Mis sobre a vida. Mais sobre a forma de escrever. Mais no desnvolvimentos intelectual para podermos neles reflectir e depois em consciência podermos comentar.
Um abraço.

f@ disse...

Olá Daniel,

Belíssimo poema....o silêncio e a cor do sorriso sempre no sonho...

Beijinhos

O empírico disse...

Lindo poema