sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Tão longa estrada

Por que você não me deixou de uma vez caído?
Por que você foi tão boa pra mim?
Por que o teu café me faz tão bem?
Tão longa estrada, a nossa...
Tão cheia de obstáculos...
Estrelas famintas se lambuzam no teu brilho
Pena eu não ter sido prudente o suficiente
Espinhos te fodem o útero
Meus mil demônios fanáticos no teu rabo
Fazem do teu grito meu orgasmo
Quero arrancar teus olhos
Beber teu rio
Devorar teus mamilos
Rasgar em dez milhões de pedaços tua alma azul clara
Te fazer chorar de farra
Só pra ser consolo
Afogue-me no teu ódio
Esfole-me o sexo agora
Teu desespero me excita
Faz do meu pau um pau de aço
Obsceno psicopata sem coragem de matar
Eu me escondo em você, porque o mundo não me quer
E por mais que tenha medo
Quero estar de frente
E encarar contigo os pesadelos.

9 comentários:

Marcia Barbieri disse...

O cotidiano olhado com maestria. Escritor que é escritor pode falar de qualquer coisa que fica lindo!!!!Adorei esse poema!!!!!!!!!

beijos, gatíssimo

Adriana disse...

Uma orgia apaixonada sensual poética. Um poema obsceno insano sedento. Uma trepada que vale a pena com sonhos e pesadelos. Mais um, Daniel, que comove, que choca, que desperta. Beijo.

JC disse...

Bonito poema. Podia ter sido escrito por outras palavras e transmitir a mesma mensage. Uma bela mensagem de amor. No entanto quero dizer-te que gostei da forma que o escreveste e com as palavras que empregaste. São reais. São verdadeiras. Saiem bem o fundo de nós.
Um abraço

Blood Tears disse...

A expressão poética do desejo.... Vibrantemente loindo... ;)

Blood Kisses

marcio mc disse...

Ô.....grandissimo.Valeu Daniel.

Adriana disse...

Daniel, obrigada por seu comentário. É lógico que quero o seu livro, aliás, sempre tive curiosidade em ler, mas fiquei sem graça de pedir, coisa de mineiro. Passei o carnaval aqui mesmo em Belô, que é o melhor lugar pra se fugir dele. Até me lembrei do cara do meu conto, porque fiquei ligada na tevê e cinema, filmes, documentários, shows(menos carnaval), tv a cabo é bom por isso. Meu endereço: Rua Congonhas 892, apto 503- Bairro Santo Antônio.BH/MG Cep 30330-100. Vou ficar muito feliz. Beijo e obrigada.

PS: Me diz quanto é, como eu pago, etc. Sei o quanto é difícil essa história de escrever, de ser escritor.

Adriana disse...

Pô, desculpe, um presente a gente não deve pagar. É que fiquei tão empolgada que queria que você soubesse o quanto vale pra mim esse livro. Não entenda como indelicadeza, tá? Beijo.

Luciano Fraga disse...

Poesia escrachada, ousada, poderosa, agressiva.Um descarrego no final em forma de orgasmo,bela, abraço.

ronaldobraga disse...

li mais de uma vez até o
comentario.
é um texto onde a confissão do fracasso ta na propria vitória.
um desespero que nos faz ver tudo ao avesso, não exatamente contra ou a favor mas ao avesso.
um texto arrepiante e ousado, por que enfrenta os demonios do em si mesmo.
literalmente:
di-fuder.