domingo, 21 de dezembro de 2008

A FELICIDADE É UMA ARMA QUENTE

Partidos os relógios
Um vento delicado entre os cabelos
Andorinhas dissonantes apontando a dubiedade
Quero o frescor do início outra vez
E um gosto de pêssego na boca
O mundo é grande demais para se ser só
Vem com os meus erros
Porque o teu perdão reinventa o amor.

Hoje nos meus braços ninguém tinha dentes
e nem sorrisos
Mas eu engoli tua dor e teu sexo
E do líquido da nossa desgraça
Reconstruí diamantes cor de vinho
E espingardas de caçador.

Sou menino
e aceito das águas a revolta.
Quando você me deixou
Eu chorei tanto
Que as lágrimas cavaram feridas
Hoje restam cicatrizes no rosto
E claros traços de alcoolismo
Estou tão cansado de ser eu mesmo.

4 comentários:

Adriana disse...

Só posso dizer: bom demais!"E do líquido da nossa desgraça
Reconstruí diamantes cor de vinho
E espingardas de caçador." Beijo.

JC disse...

Belo poema. A mensagem que nele está contida pode aplicar-se a tanta e tanta gente.
Os desgostos de amor por vezes levem-nos a fazer coisas que nunca pensamos na vida poder alum ddia vir a fazer.
Um abraço

Cristiana Fonseca disse...

Belo poema.
Feliz Natal e Feliz Ano Novo de muitas realizações pra você e para a querida Márcia.
Abraços,
Cris

Carla disse...

Passei para desejar

_________________Paz
_______________União
______________Alegrias
_____________Esperança
____________Amor Sucesso
___________Realizações Luz
__________Respeito harmonia
_________Saúde solidariedade
________Felicidade Humildade
_______Confraternização Pureza
______Amizade Sabedoria Perdão
_____Igualdade Liberdade Boa sorte
____Sinceridade Estima Fraternidade
___Equilíbrio Dignidade Benevolência
__Fé Bondade Paciência Brandura Força
Tenacidade Prosperidade Reconhecimento
_______________!!!!
_______________!!!!
_______________!!!!

beijos