terça-feira, 16 de setembro de 2008

TRÊS

Já aprendi a ir embora
O que não quer dizer que não doa
Eu empresto meus pés ao vidro
Eu empresto meus olhos aos punhos
Eu empresto meus dentes ao caos
Eu ofereço dez mil faces novas a dez mil mãos espalmadas
Não é por bondade
Nem é por maldade
É por ser gente

Há muito
Deixei de entoar cantigas de guerra
Mas invento novos impérios vermelhos
E crio línguas outras
E faço as religiões que me convém.

Não sei se é já esta a minha hora
Quem sabe?
Mas enquanto as borboletas,
De asas dadas, vêm trazendo a primavera
Deixo um conselho simples às lebres
- Não se metam com a fúria do Leão.

6 comentários:

marcio mc disse...

Ok pianista,muito bom meu rei.A primavera é sempre bem vinda ainda mais trazida nas asas das borboletas,gostei muito disso.

Luciano Fraga disse...

Daniel, este poema é um grito de alerta,um espanto, ao tempo que é uma doação/entrega. O poeta faz e sabe a hora.Entregar os pés aos vidros e os dentes ao caos, é " humano demasiado humano",atitudes que quebram qualquer perspectiva de derrotismo e auto compaixão, aí você define a religião que lhe convém, pisoteando os medrosos com a fúria de um Leão. .

pianistaboxeador21 disse...

Obrigado Luciano, vc sempre manda ver nos comentários. Valeu pela leitura atenta.

Márcião, estamos em setembro, quero ver as coisas por aí. Obrigado


Daniel

f@ disse...

Se canta a guerra e faz a paz... a paz da mão na terra e na outra face da lua...
Eu aprendi a ir... e a voltar e ir de novo e demorar mas voltar sempre...
Na primavera...
beijinhos das nuvens

jawaa disse...

Você é uma força da natureza escrevendo.
Gosto de sua prosa, de sua poesia também e olha que eu não sou fácil...
Aquele poema doce e pequenino diz tanto (se calhar mais às mulheres, mas detesto fazer diferença entre homens e mulheres nos sentimentos)que eu nem deveria comentar. Mas não resisto.
Sabe que não sou menina, mas aquele mimo (cochilo, é?) depois do amor no ninho dos braços de quem se ama é um pedacinho do paraíso.
Beijão

ronaldo braga disse...

uma beleza cultural e um vigor de guerreiro é o que permeia esse poema que tambem postado em www.diariosdosonho.blogspot.com/
www.ronaldobragas.blogspot.com
e tambem estará no interditado 11.